Dados estão sendo gerados a todo momento, nos quatro cantos do mundo. Na era atual, estamos recebendo e gerando dados de forma acelerada e contínua. Os avanços tecnológicos recentes, especialmente devido à popularização de dispositivos mobile na última década, impulsionaram a geração de um grande volume de dados. Como consequência, observamos o movimento no mercado em busca de maneiras de se analisar e extrair informações valiosas de todos esses dados.

O Big Data é um conceito usado para expressar a junção de uma grande quantidade de dados que não são apenas coletados, mas também armazenados e estruturados em rede. O cruzamento de todos estes dados, de fontes distintas, pode gerar diversos insights para uma melhor gestão através do Data Analytics.

O mercado já reconhece todo o valor de insights gerados por dados, que mostram-se capazes de orientar tomadas de decisões mais assertivas. É nítido o movimento de empresas de diversos setores para adoção da cultura data driven – ou seja, orientada a tomadas de decisões baseadas em dados, evitando decisões embasadas em intuição, instinto, exemplos passados, achismos ou heurísticas.

E a construção civil não está fora disso. Dados são gerados a todo momento em escritórios de projeto e canteiros de obra, durante todo o processo construtivo. Esses dados podem ser captados através de sensores, dispositivos móveis e qualquer equipamento conectado à internet.

A análise desses dados pode levar à identificação de problemas recorrentes de desperdício de materiais, causas de atrasos em obras e suas consequências no orçamento do projeto, sendo capaz de identificar a raiz de todos esses problemas, a fim de trazer velocidade e otimizar todas as etapas do processo construtivo.

O que o Big Data proporciona para Construção Civil?

1. Prevenção de riscos

Uma grande quantidade de dados permite que todas as informações relacionadas ao processo administrativo e operacional da obra sejam avaliadas de forma fiel à realidade do canteiro. Com base em dados é possível prever riscos de forma mais precisa, evitando distúrbios financeiros, operacionais ou de planejamento.

Com isso, torna-se mais rápida a análise da melhor e mais produtiva forma de solucionar um problema. Assim, são evitados atrasos no cumprimento de prazos e aumento de custos. Consequentemente, menos tempo será gasto na resolução de problemas, resultando em mais credibilidade e rentabilidade para a empresa.

2. Aprimoramento da gestão de projetos

Ainda que tenha sido uma prática comum no passado, nos tempos modernos, seria muito difícil organizar todas as informações de um projeto em folhas de papel. Além do grande espaço físico necessário para armazenamento de tantos papéis, não é um modelo sustentável, e torna moroso o simples processo de localizar informações importantes.

Gaps de comunicação, disfunção de orçamento e perda de documentos são problemas comuns em projetos gerenciados manualmente. Estes problemas podem ser minimizados com softwares especializados na gestão digital das obras, que possibilitam armazenamento e análise de grande quantidade de dados com poucos cliques.

3. Mais sustentabilidade

O Big Data também pode contribuir com a sustentabilidade, sendo exemplos de aplicação da tecnologia: reaproveitamento de água e suporte à implantação de uma boa política de gestão de resíduos.

Os dados acumulados são capazes de gerar insights para otimização de recursos e mão de obra, revelando se formas de otimizar a economia de água ou energia, por exemplo.

4. Otimização de projetos

Entrada e saída de materiais, cronograma da obra e todo planejamento do projeto são melhor agrupados graças ao Big Data. A análise de dados faz com que sejam traçados objetivos adequados a cada tipo de projeto.

5. Melhor relacionamento com o cliente

É um engano acreditar que somente aqueles profissionais que estão ligados diretamente ao projeto são beneficiados pelo Big Data. Isso porque ele não está relacionado apenas a funções operacionais. Em atividades que envolvem conhecer o cliente, entender o mercado, elaborar estratégias de marketing, o Big Data também se torna importante. Além disso, possuindo grande volume de dados sobre os clientes, é possível conhecê-los melhor e buscar estratégias para otimizar e personalizar o atendimento

6. Redução de custos

Graças ao Big Data é possível planejar melhor o orçamento da obra, e oferecer informações para embasar a escolha dos melhores fornecedores. Os dados promovem uma avaliação justa, evidenciando os prós e contras de cada um dos fornecedores disponíveis no mercado, e dessa forma, possibilitando a escolha de empresas com o melhor custo x benefício.

Panorama da utilização do Big Data no Brasil

No início do mês de agosto, a Rede Construção Digital promoveu um encontro para se debater os temas Big Data, Analytics e a importância da utilização de dados na construção civil. O evento ocorreu na sede do CTE – Centro de Tecnologia de Edificações, e teve como um de seus palestrantes, o arquiteto urbanista e sócio-fundador da Allower, Carlos Marchi.

Marchi apresentou um projeto urbanístico desenvolvido na Holanda a partir de um mapeamento do número de pedestres nas ruas. Segundo o arquiteto, graças ao grande volume de dados disponíveis, projetos como esse também poderiam ser realizados no Brasil. No entanto, em sua visão, nós desperdiçamos dados, ao invés de transformá-los em informação de valor. Além disso, ressaltou que o Brasil é um país relevante e promissor na Construção Civil, e que a troca de experiências pode contribuir para que projetos semelhantes também possam ser desenvolvidos aqui.

Para saber mais, clique aqui e confira a cobertura completa do evento no site do Enredes.

Autodoc

Author Autodoc

More posts by Autodoc

Leave a Reply