Nos últimos artigos do nosso blog, você tem acompanhado algumas das principais tendências tecnológicas em ascensão, e seus impactos na Construção Civil. Tecnologias como Impressão 3D, BIM, Big Data e Inteligência Artificial têm provocado mudanças e revolucionado o processo construtivo (para ter uma visão geral dessas principais tecnologias, acesse o artigo Indústria 4.0 na Construção Civil).

Ainda que essas novas tecnologias estejam em fase de amadurecimento, empresas que anteciparem sua adoção, conseguirão comprovar seus benefícios e estarão um passo à frente de seus concorrentes.

Neste artigo abordaremos mais uma tendência desta nova era do mundo digital: o blockchain.

O que é o blockchain?

Através de pesquisa realizada pelo HSBC, foi constatado que apenas 41% dos entrevistados já ouviram falar sobre blockchain, dentre estes, 80% afirmam não entenderem como funciona a tecnologia. Então, vamos explicar:

O blockchain se popularizou como o sistema responsável por garantir a segurança de todas transações realizadas com a criptomoeda mais popular do mundo, o bitcoin. Trata-se de uma estrutura de dados que surgiu em 2008, capaz de registrar e rastrear as transações em uma rede, garantindo que as informações das transações realizadas entre duas partes sejam mantidas inalteradas e criptograficamente seguras.

Em transações tradicionais, há sempre um agente intermediário (normalmente, bancos). Este agente existe para garantir a segurança das operações, entretanto, devido a toda burocracia existente, o processo acaba sendo demorado. Além disso, as taxas cobradas pelos intermediários elevam os custos dos negócios.

O blockchain surge como uma alternativa para que as transações possam ser realizadas sem agente intermediário, e ainda assim as informações se mantenham seguras.

Como o blockchain pode contribuir com a Construção Civil?

Além de agilizar transações financeiras, o blockchain tem uma outra contribuição muito positiva para a Construção Civil: facilitar a troca de informações.

Devido à capacidade do blockchain de rastrear continuamente as atualizações dos registros digitais, ele se torna eficaz no controle das informações trocadas sobre cada projeto construtivo.

Entenda como o blockchain pode trazer benefícios para Construção Civil:

Transações mais seguras e controle de estoque eficaz

A utilização de criptomoedas para transações comerciais ainda não é comum no Brasil, mas é possível que se popularize no futuro. Por meio da capacidade de rastreamento do blockchain, os pagamentos realizados no setor construtivo podem ser otimizados.

O controle de estoque é uma das práticas mais importantes em um canteiro de obras. Através da colocação de dispositivos emissores de sinais de rádio (etiquetas RFID) em materiais de obra, o blockchain pode rastrear o transporte destes materiais. Isso traz mais transparência e controle sobre a obra.

Smart Contracts

Na realização de um negócio, é importante que sejam firmados contratos entre as partes envolvidas, para garantir o cumprimento de todos os acordos estabelecidos. Os smart contracts (contratos inteligentes) são contratos automatizados que evitam a necessidade de intermediários, economizando tempo e dinheiro. São importantes para garantia da segurança nos acordos entre as partes (construtora e fornecedores, por exemplo), além de prevenirem a adulteração ou perda dos documentos.

O blockchain é capaz de armazenar e rastrear todas as cláusulas de um contrato virtualmente, de forma segura. Dessa forma, os acordos deixam de ser formalizados em papéis, para serem registrados digitalmente. Isso possibilita que pessoas desconhecidas firmem contratos entre si, pela internet, sem a necessidade de intermediários, trazendo maior fluidez e economia durante o processo contratual.

Os smart contracts podem conter as mesmas informações que um contrato tradicional: cláusulas, requisitos e penalidades.

Na Construção Civil funciona da seguinte forma: as partes envolvidas definem as regras, regulamentos e penalidades; o sistema fica responsável por aplica-las a medida que o projeto avança. Em um contrato da construtora com o fornecedor, por exemplo, o sistema pode verificar se o fornecedor não entregou determinados materiais no tempo estabelecido em contrato, e impor a penalidade automaticamente.

BIM

O blockchain pode não somente estimular a aplicação eficaz do BIM em seus projetos, mas revolucionar a forma como isso é feito. Sensores instalados em diversas partes do canteiro de obras são capazes da avaliar e fornecer informações sobre o andamento da obra. Através dessas informações, um sistema pode verificar se o andamento da obra está de acordo com o modelo BIM tridimensional. Caso o projeto BIM integrado a um smart contract, as medidas cabíveis a cada etapa de andamento do projeto serão registradas automaticamente. Deste modo, as movimentações financeiras ocorrerão somente mediante o cumprimento dos padrões estabelecidos e tornarão o processo mais transparente.

O que esperar do blockchain na Construção Civil nos próximos anos?

Em um panorama mundial, a utilização do blockchain na Construção Civil ainda está em fase embrionária. No entanto, o fato dessa tecnologia otimizar o uso do BIM e promover mais segurança são dois fatores que, indiscutivelmente, colocam a tecnologia no patamar de tendências mais promissoras. Entretanto, como toda nova tendência, o blockchain enfrenta certa resistência por parte de profissionais que ainda optam por processos e modelos tradicionais de negócio.

Felizmente, já estamos acompanhando movimentações no mercado da Construção para adoção do blockchain. Em junho deste ano, a construtora Cyrela deu o pontapé inicial na utilização do blockchain em transações imobiliárias no Brasil. No último mês, a MRV Engenharia também se beneficiou do blockchain para agilizar o processo de aquisição de terrenos.

Segundo o diretor de desenvolvimento imobiliário da MRV no Rio de Janeiro, Henrique Queiroz, no processo tradicional seriam necessários até quatro meses entre a compra do terreno e a apresentação do empreendimento ao mercado. Com o uso do blockchain, a operação foi feita em quatro dias.

Autodoc

Author Autodoc

More posts by Autodoc

Leave a Reply