Muitas empresas da indústria da construção têm encontrado no BIM (Building Information Modeling) um caminho para obter mais integração, produtividade e assertividade. Mas para colher todos os benefícios que essa tecnologia pode proporcionar, o primeiro passo é ter uma implantação cuidadosa e estruturada.

Sair de um modelo 2D para um modelo tridimensional repleto de informações integradas requer uma mudança de paradigma e novos fluxos de trabalho. Tal transformação não é algo que se faça de um dia para o outro, ainda mais se considerarmos a falta da cultura de inovação, pesquisa e desenvolvimento das nossas empresas. Mas a tarefa tende a ficar mais fácil quando se combina boa tecnologia, definição clara de processos e pessoas qualificadas.

Sua empresa está interessada em iniciar essa jornada? Então confira as cinco dicas a seguir:

1) Invista em pessoas – A capacitação dos profissionais envolvidos e o nivelamento de conhecimentos sobre a nova tecnologia são chaves para o sucesso da implantação de um processo BIM. Isso pode ser feito, por exemplo, por meio de workshops técnicos e de planos de treinamentos. Vale lembrar que nem todos os membros de uma equipe precisam aprender a usar as mesmas ferramentas ou com o mesmo grau de profundidade.

Como o BIM pressupõe um ambiente colaborativo, além de domínio sobre os processos, um requisito importante aos profissionais envolvidos é a capacidade de relacionamento e trabalho em equipe.

Além disso, uma figura que merece destaque é o BIM Manager, profissional dedicado à condução do processo. Esse gestor pode ser alguém da empresa (sócio ou funcionário consolidado) ou ser contratado. Mas é fundamental que tenha boa capacidade de se comunicar e sólidos conhecimentos sobre os processos da empresa, e não apenas domínio operacional da tecnologia.

2) Defina objetivos acessíveis – Antes de iniciar a implantação da plataforma BIM é necessário fazer um mapeamento preciso do processo atual, através de um fluxograma das atividades desenvolvidas e seus respectivos responsáveis. A partir daí fica mais fácil alinhar necessidades e expectativas.

Muitas iniciativas fracassam por falta de definição da empresa sobre o que se quer com o BIM. Nesse ponto, para quem está iniciando, recomenda-se dar preferência à definição de um objetivo inicial simples, não perdendo de vista objetivos futuros mais complexos. Começando por uma pequena escala, é possível gerar confiança, aumentando gradativamente os recursos e a experiência.

3) Escolha uma ferramenta adequada às suas necessidades – Qual software de modelagem utilizar? Na hora de tomar essa decisão é importante priorizar a facilidade de uso, a curva de aprendizado e a escalabilidade.

Além de investimentos consideráveis, programas de modelagem tendem a consumir muita memória. Por isso mesmo, um cuidado importante é conferir os requisitos mínimos de hardware indicados pelo fornecedor do software.

4) Defina marcos intermediários – A depender do porte e das expectativas da empresa, implantar o BIM pode soar como uma tarefa monumental. Não à toa, uma dica de muitos consultores da área é dividir as tarefas iniciais e estabelecer marcos para apoiar a organização. No decorrer do processo, o alcance desses marcos ajuda a manter o engajamento dos profissionais até chegar ao objetivo final.

5) Realize um projeto piloto – Uma etapa crítica no processo de implantação do BIM é a elaboração de um projeto beta que precisa estar alinhado ao perfil dos projetos desenvolvidos na empresa. Esse trabalho deve servir como ponto de partida para gerar conteúdo, fluxos e detectar pontos de melhoria antes de generalizar o uso da metodologia nos demais projetos.

Ao longo deste post você viu que implantar a plataforma BIM nas empresas é um processo que deve estar apoiado em um tripé composto por pessoas, processos e tecnologia. Conte-nos, este conteúdo foi útil para você? Não deixe de compartilhar suas impressões conosco no espaço de comentários.

Se curtiu, compartilhe em suas redes.
Até a próxima!

Leia também:

Autodoc

Author Autodoc

More posts by Autodoc

Leave a Reply