Skip to main content

O processo de digitalização pelo qual passam muitas construtoras tem feito com que tecnologias inovadoras, a exemplo do reconhecimento facial, adquiram maior presença nos canteiros de obras. 

Esses equipamentos têm como principal função controlar o acesso de trabalhadores e visitantes, dispensando contato físico com o uso de cartões de proximidade (RFID) ou com coleta de impressão digital. A facilidade de utilização é o primeiro atributo do reconhecimento facial. Basta o usuário olhar para o leitor para ter seu acesso liberado.

A segurança do reconhecimento biométrico

Tecnologias que identificam as pessoas a partir das características do rosto são uma realidade na segurança pública e privada. Em todo o mundo, elas têm se difundido por combinar confiabilidade e rapidez. 

Modelos mais recentes de smartphones utilizam o reconhecimento de face para desbloquear o dispositivo. Também em aeroportos a biometria facial tem se tornado comum, agregando agilidade e reforçando a segurança nos controles de imigração.

Os rostos são considerados dados biométricos em função da alta quantidade de características únicas que possuem. A possibilidade de fraude é praticamente nula e o sistema funciona mesmo que alterações na aparência tenham sido registradas desde o cadastro do usuário, incluindo crescimento ou retirada de barba, mudanças no corte de cabelo, uso de óculos e de capacete.

Uma evolução desta tecnologia é o desenvolvimento de recursos para identificar tentativas de burlar a face. Os leitores já conseguem distinguir uma fotografia de um rosto vivo. Além disso, eles se ajustam à luminosidade do ambiente e conseguem captar as informações, inclusive, de uma face em movimento. 

Catraca facial nas obras

Acompanhando as tendências globais, as empresas da construção civil já podem se aproveitar das facilidades proporcionadas pela biometria com soluções como a recém-lançada Catraca Facial Autodoc. Com leitor facial, o equipamento é integrado ao software de controle de documentação legal e fiscal Autodoc GD4

O sistema funciona após um cadastramento do colaborador realizado em menos de 10 segundos pelo aplicativo Catraca 2.0. A partir daí, sempre que entrar ou sair do canteiro, o trabalhador passa pela análise biométrica, que também ocorre em segundos. 

Nesse breve intervalo de tempo, o software consegue verificar se o usuário possui a documentação completa e todos os treinamentos necessários para liberar o seu acesso. Com isso, o construtor tem a garantia de que colaboradores com qualquer irregularidade na documentação serão bloqueados, reduzindo problemas com segurança no trabalho e passivos trabalhistas

No caso da Catraca Facial Autodoc, outro atributo importante é a robustez dos hardwares e softwares utilizados, fundamental para garantir fluidez durante a entrada e a saída dos canteiros, evitando filas.

A Autodoc é parte da Ambar, o sistema operacional da nova construção civil. Ajudamos construtoras e incorporadoras a operar com mais eficiência e agilidade por meio de soluções tecnológicas presentes durante toda a jornada construtiva, do projeto à finalização da obra. Clique aqui para saber mais sobre a Catraca Facial Autodoc e o software Autodoc GD4. Agende uma demonstração das nossas soluções!

Leia também

Como minimizar riscos em parcerias com startups? Confira algumas dicas

5 tecnologias para elevar a produtividade nos canteiros de obras em 2022

Autodoc

Author Autodoc

More posts by Autodoc

Leave a Reply