Skip to main content

As catracas para controle de acesso nos canteiros de obras têm se tornado cada vez mais necessárias em resposta às necessidades das construtoras por segurança em diferentes níveis. Com o avanço da tecnologia, esses dispositivos permitiram ir muito além do controle de entrada e saída de pessoas, ampliando suas funcionalidades em áreas como jurídico, financeiro e segurança do trabalho.

As catracas de acesso são o tema do nosso post de hoje. Siga conosco para entender mais sobre esses equipamentos que deixaram de ser acessórios para adquirir status de essenciais:

Catraca física

A necessidade de restringir a entrada de público em determinadas instalações fez com que as catracas se tornassem recorrentes em locais com alto tráfego de pessoas. Este é o caso de edifícios comerciais, universidades, hospitais, indústrias e, também, dos canteiros de obras. Para controlar o acesso e identificar as pessoas, essas barreiras podem utilizar diversas tecnologias, como cartões de proximidade (Near Field Communication – NFC), leitura biométrica ou código de barras.

Na maior parte das vezes, as catracas físicas são usadas visando inibir ação de roubo ou furto, controlando a circulação de colaboradores, visitantes e prestadores de serviço. 

Catracas virtuais e inteligentes

A evolução desses equipamentos são os modelos inteligentes que embarcam tecnologias como Big Data e Internet das Coisas (IoT) para se tornarem mais funcionais. Com isso, o controle de acesso deixa de ser uma simples barreira de entrada e saída para se transformar em um sistema de validação inteligente que integra várias disciplinas.

Plataformas como a Autodoc GD4, por exemplo, foram desenvolvidas para atender a necessidade das construtoras de homologar e gerir a documentação de colaboradores, reduzindo passivos trabalhistas. Para se ter uma ideia, uma construtora com dois canteiros de obras simultâneos e 150 colaboradores pode ter que gerenciar cerca de 2600 documentos por dia. Como fazer isso sem o apoio de uma solução digital robusta?

Quando uma catraca é integrada ao AutoDoc GD4, ela adquire a capacidade de avaliar em milésimos de segundos se o colaborador possui a documentação completa e todos os treinamentos necessários antes de liberar o seu acesso à obra.

Entre outros recursos, o GD4 permite:

  • Manter documentos legais e fiscais centralizados e organizados; 
  • Garantir a segurança no trabalho de todos os colaboradores;
  • Emitir notificações sempre que um documento estiver prestes a expirar, permitindo aos setores envolvidos maior controle sobre o vencimento de toda a documentação legal e fiscal;
  • Ter mais segurança jurídica com a garantia de que nenhum colaborador com documentação irregular terá acesso ao canteiro de obra;
  • Integrar outros aplicativos. Com o Fast Track, por exemplo, torna-se possível identificar, durante visitas e auditorias, se os colaboradores possuem os requisitos necessários para desempenhar determinadas atividades via leitura de QR Code ou inserção do número do CPF. Já com o App Catraca Virtual, todo o controle pode ser manuseado de um smartphone, incluindo a extração de registros instantâneos e de relatórios de acesso. 

Você viu no artigo de hoje que tecnologias como as catracas virtuais estão cada vez mais acessíveis às construtoras de diferentes portes. Só pela redução dos passivos trabalhistas, o investimento nesse tipo de solução já se justifica.

Esse texto foi útil para você? Se curtiu, não deixe de compartilhá-lo em suas redes! E se quiser saber mais sobre o GD4 e as catracas Autodoc, entre em contato e agende uma demonstração! Até a próxima!

Leia também: 

Autodoc

Autor Autodoc

Mais posts de Autodoc

Deixe um Comentário