Skip to main content

Você já sabe que o BIM (Building Information Modeling) consiste em um conjunto de tecnologias e processos para integrar arquitetos, engenheiros e construtores na elaboração de um modelo digital preciso, com uma base de dados e informações para apoiar diferentes etapas do ciclo de vida da edificação. Para garantir fluxos de trabalho compatíveis com tal grau de interação, o Open BIM, tema do post de hoje, é fundamental. Continue conosco para saber mais sobre esse assunto tão relevante para o sucesso da modelagem da informação:

O que é o Open BIM?

De forma simplificada, o termo Open BIM refere-se à possibilidade de trabalhar em equipe, mesmo quando os profissionais envolvidos utilizam softwares de fabricantes e com extensões de arquivos diferentes. 

Trata-se de uma iniciativa da organização sem fins lucrativos buildingSMART e de vários fornecedores para garantir a interoperabilidade entre os múltiplos sistemas BIM. Vale lembrar que não há no mundo uma empresa com nível de especialização em todas as áreas e usos requisitados pela modelagem da informação.

De acordo com a buildingSMART, são princípios do Open BIM:

  1. Interoperabilidade;
  2. Prioridade aos padrões abertos e neutros;
  3. Parâmetros de qualidade independentes para garantir a confiança nas trocas de dados;
  4. Fluxos de trabalho de colaboração não limitados por processos proprietários ou formatos de dados.

O formato IFC

Sempre que falamos em modelo aberto, é inevitável não citar o padrão IFC (Industry Foundation Class). Abordado pela norma ISO 16.739, essa extensão de arquivo permite compartilhar e trocar dados BIM entre diferentes softwares, garantindo fluxos de trabalho compatíveis e com uma linguagem em comum.

O padrão IFC é bastante extenso e complexo em função da possibilidade de existirem múltiplas alternativas de modelagem para um mesmo objeto.

Atualmente os softwares BIM mais utilizados pelo mercado permitem a exportação de arquivos de dados com formato aberto. Solução específica para colaboração de projetos, o Autodoc Projetos 4 BIM também se encaixa nessa categoria de sistemas por possuir visualizador de IFC, entre outros recursos.

Por que o Open BIM é tão importante?

Além de gerar economia e eficiência, o Open BIM melhora a acessibilidade, a usabilidade e o gerenciamento dos dados digitais. Ele favorece fluxos de trabalho colaborativos e garante às empresas — construtoras, escritórios de projeto, gerenciadoras etc. — flexibilidade para escolher a tecnologia mais conveniente às suas demandas.

Há, também, uma questão de longevidade dos arquivos. Ao garantir compatibilidade perene, o Open BIM evita que o desenvolvimento de novas versões dos softwares torne os formatos dos arquivos obsoletos e cause a invalidação de dados.

Por fim, mas não menos importante, o Open BIM agrega transparência aos processos. Afinal, graças a ele, informações e características do projeto passam a estar acessíveis a todos os envolvidos.

Segundo dados da Allied Market Research, o mercado de BIM deve crescer globalmente a taxas superiores a 15% até 2027. Para que essa evolução aconteça e haja, de fato, uma democratização da modelagem da informação, o formato aberto é imprescindível. 

O Autodoc apoia o Open BIM por entender que a interoperabilidade, o desenvolvimento de padrões abertos e o acesso não-proprietário são fatores críticos para o sucesso do BIM e, consequentemente, para a eficiência de toda a cadeia da construção.

Esse artigo foi útil para você? Compartilhe suas impressões no espaço de comentários. 

Até a próxima!

Leia Também: 


Autodoc

Autor Autodoc

Mais posts de Autodoc

Deixe um Comentário