O desenvolvimento de projetos na Construção Civil está repleto de riscos que podem comprometer a qualidade do produto, induzir estouros de orçamentos e provocar atrasos no cronograma. Para evitar danos à imagem ou às finanças da empresa, é importante atuar na contenção dessas incertezas.

Você sabe que um único risco negligenciado pode afetar diretamente o resultado do projeto, não é mesmo? Quer saber mais sobre como diminuir a exposição a imprevistos e elevar o nível de assertividade de seus projetos? Então, continue conosco!

O gerenciamento de riscos em projetos

Uma das principais referências quando falamos em gestão de projetos é o Project Management Body of Knowledge (PMBOK), organizado pelo Instituto PMI. De acordo com esse guia, o gerenciamento de riscos precisa contemplar sete processos principais: 

  • Planejamento do gerenciamento dos riscos;
  • Identificação dos riscos;
  • Análise qualitativa dos riscos;
  • Análise quantitativa dos riscos; 
  • Planejamento das respostas;
  • Implementação das respostas;
  • Monitoramento dos riscos.

Segundo o PMI, o risco em um projeto é um evento ou condição incerta que, se acontecer, pode ter um efeito positivo ou negativo sobre os objetivos do projeto.

Principais riscos intrínsecos aos projetos de Construção Civil

As ações para prevenir riscos na Construção Civil devem se estender desde a fase de estudo de viabilidade, até a execução da obra, passando por todas as etapas de planejamento. 

Em especial na construção de edificações, os projetos estão expostos a uma série de ameaças que podem ser de ordem gerencial/administrativa ou técnica. Todos eles têm alto potencial para afetar o tripé custo-tempo-qualidade.

Entre os riscos gerenciais estão: atraso na entrega de projetos, falhas na rede de suprimentos e paralisações das atividades por órgãos reguladores. Entre as ameaças técnicas, apenas para citar algumas, há a falta de precisão na execução em campo, os imprevistos no solo, e os erros na interpretação e na compatibilização de projetos.

5 boas práticas para a gestão de riscos na Construção Civil

A seguir você pode conferir cinco dicas para auxiliar o controle de riscos em seus projetos:

  1. Na etapa de identificação de incertezas, uma ferramenta simples e que costuma agregar bons resultados é o brainstorming sobre o que pode dar errado.
  2. O sucesso do gerenciamento de riscos depende do comprometimento da organização durante todo o ciclo de vida do projeto. 
  3. O gerenciamento de projetos é uma atividade muito dinâmica. Daí a necessidade de as empresas reavaliarem periodicamente os riscos identificados no planejamento. Afinal de contas, as ameaças podem mudar no decorrer do trabalho.
  4. Muitas vezes os riscos relacionados a um projeto têm interações entre si. Isso significa que eles podem iniciar uma cadeia de acontecimentos e alterar todo o cenário da execução. Para evitar surpresas desagradáveis, deve-se dar atenção às possíveis conexões entre os riscos de cada etapa do projeto.
  5. O uso de tecnologias digitais que garantam assertividade aos projetos e evitem problemas de compatibilização é cada vez mais imprescindível. Destaque para os softwares de gestão de projetos e para a modelagem da informação (BIM), que atuam tanto na verificação de incompatibilidades, quanto podem dar mais consistência a planejamentos e orçamentos.

Esse conteúdo foi útil para você? Então, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais! 

Não deixe de ler também:

Até a próxima!

Autodoc

Autor Autodoc

Mais posts de Autodoc

Deixe um Comentário