Entre as novas tecnologias com aderência na indústria da construção, o 3D scan, ou laser scanning, é uma das que mais se destaca. Estamos falando sobre uma solução não destrutiva que utiliza um emissor de feixes de laser para capturar digitalmente o formato de objetos físicos.

Esse tipo de equipamento captura as coordenadas x, y e z dos objetos ao seu redor e as converte em uma nuvem de pontos com precisão milimétrica. A partir daí, torna-se possível extrair informações planimétricas e altimétricas, gerando plantas cadastrais, curvas de nível, perfis longitudinais e seções transversais. Também dá para gerar modelos digitais, executar cálculos de volume e modelar estruturas.

Para fazer tudo isso há múltiplos tipos de scanners 3D que variam em função do sistema de varredura, da exatidão e da quantidade de pontos medidos. Os equipamentos podem ser classificados em duas grandes categorias: terrestre, quando fica posicionado próximo do solo, e aerotransportado, quando é preso em aeronaves, indicado para o levantamento de áreas de grandes dimensões.

Principais aplicações

A captura de dados a partir do 3D scan é útil em diferentes situações, em obras novas e pré-existentes, retrofits de prédios históricos, infraestrutura urbana e edifícios industriais. Com ela, o trabalho que, até então era feito manualmente e demandava tempo considerável, pode ser realizado com agilidade, resultando em um modelo “as built” 3D da edificação.

Vale lembrar que a medição tradicional realizada em várias etapas do processo de projeto e execução das obras está suscetível a erros que, uma vez acumulados, comprometem os demais serviços.

No Brasil, o laser scanning vem sendo aproveitado para:

  • Dar precisão a levantamentos topográficos;
  • Melhorar o controle de produção das obras permitindo, a partir de levantamentos a laser periódicos, conferir a produtividade de trabalhos de movimentação de terra;
  • Extrair volume de objetos e localização de equipamentos no canteiro de obras;
  • Monitorar estruturas em situações de alta periculosidade;
  • Identificar defeitos na superfície de concreto em grandes estruturas;
  • Permitir um diagnóstico preciso das condições das estruturas antigas e gerar documentação detalhada da obra;
  • Prover as-built de indústrias e outras instalações complexas. O escaneamento permite identificar pequenos erros de construção e montagem do local que não seriam perceptíveis com instrumentos de medições convencionais;
  • Flexível, a tecnologia pode ser utilizada para levantamento de objetos de pequenas dimensões (detalhes arquitetônicos) ou de grandes dimensões (áreas urbanas) e de formas complexas.

Laser scanning e BIM

O 3D scan também pode ser muito conveniente ao fornecer dados mais confiáveis para modelos BIM (Building Information Modeling). Sobre isso, é importante destacar duas vantagens importantes da integração entre essas duas tecnologias:

Erros e desperdícios são evitados em função do maior controle da obra, tanto em relação ao cronograma, quanto à qualidade da execução dos serviços;

Projetos melhores. O escaneamento atrelado ao BIM permite realizar uma série de estudos, simulações, análises de interferências entre instalações existentes e previstas no projeto.

Conte-nos, este conteúdo foi útil para você? Não deixe de compartilhar suas impressões conosco no espaço de comentários. Se curtiu, compartilhe em suas redes sociais!

Leia também:

Até a próxima!

Autodoc

Author Autodoc

More posts by Autodoc

Leave a Reply